Oito formas naturais de combater pedras nos rins

Para quem sofre com as dores advindas das pedras renais, ser capaz de combatê-la em casa pode ser de grande ajuda. Esse tipo de problema é comum e é causado por fatores que implicam mal funcionamento dos rins. Quem tem pedras nos rins uma vez, possui mais chances de tê-las novamente. As dores que seguem esse tipo de crise são bastante incômodas. Elas podem levar alguns indivíduos, inclusive, ao desmaio. A nefro litíase ou cálculo renal deve ser combatida assim que seus primeiros sintomas aparecerem, para evitar desconfortos. Fazer isso em casa não é impossível Aliás, isso pode auxiliar muito nos períodos de dor ou nos momentos mais desagradáveis. As pedras nos rins nada mais são do que acúmulos de resíduos sólidos. Estes acabam presos aos rins, gerando cristais que serão eliminados posteriormente na urina.

COMBATA AS PEDRAS NOS RINS EM CASA

Ao se tratar de pedras nos rins, quatro tipos costumam ser o foco. Porém, mais de 80% dos casos são compostos e possuem matérias de oxalato de cálcio. Além dele, pode-se observar resíduos de ácido úrico, cisteína e estruvita. Pedras pequenas, apesar da dor, são expelidas na urina. Por outro lado, pedras maiores são capazes de bloquear partes do sistema excretor de urina, o que pode causar problemas.

Os principais sintomas desse tipo de situação – que deve ser resolvida assim que possível – são:

  • sangramentos;
  • vômito;
  • diarreia;
  • dores intensas.

É provável que até 12% dos homens desenvolvam a doença, enquanto até 5% das mulheres tem essa propensão, segundo estudos. Estudos comprovam que pessoas que passam por crises de pedras nos ris uma vez possuem até mesmo 50% de chance de vivenciá-las novamente em um período de 5 a 10 anos. Porém, a boa notícia é que existem formas naturais e saudáveis de combater pedras nos rins em casa. Você pode colocá-las em prática hoje mesmo, seja para eliminar as suas com mais facilidade ou para combatê-las. Veja as dicas:

1. MANTENHA-SE HIDRATADO

Tomar bastante líquido é uma excelente forma de prevenir as pedras nos rins. Isso porque diversos fluidos são capazes de diluir os compostos que podem vir a se formar na região renal, além de impedir que eles se cristalizem. Porém, nem todos os fluidos possuem um efeito benéfico para os rins. A água é uma excelente pedida. Ela está, segundo estudos, conectada a uma chance reduzida de desenvolvimento de pedras nos rins, bem como o vinho, sucos de laranja, cerveja, chá e café. Já o refrigerante está associado a mais chances de se desenvolver cálculos renais, especialmente os que possuem adição industrial e artificial de açúcar. Esse tipo de bebida é rica em frutose Este adoçante artificial é capaz de aumentar a excreção de ácido úrico, cálcio e oxalato. Excretar tais substâncias está conectado a um risco maior que vivenciar as dolorosas pedras nos rins. Estudos, inclusive, conectaram a ingestão de bebidas de cola artificialmente açucaradas com maiores chances de desenvolver cálculos renais, uma vez que elas possuem altas taxas de ácido fosfórico.

2. AUMENTE A INGESTÃO DE ÁCIDO CÍTRICO

Esse ácido está abundantemente presente em diversas frutas e vegetais, especialmente nas opções cítricas. Laranjas e limões possuem altas taxas de ácido nítrico, segundo estudos . O ácido cítrico é um composto de plantas. Ele se mostrou capaz de diminuir os riscos de pedras nos rins e a taxa de oxalato no organismo. E isso tanto através de sua ligação com o oxalato de cálcio – impedindo a formação das pedras – ou de sua ligação com o cálcio na urina . Para garantir a ingestão do ácido cítrico, você pode adicionar limão à água. Você pode ainda aumentar a quantidade de frutas cítricas no cardápio, como laranjas e abacaxis.

3. LIMITE ALIMENTOS RICOS EM OXALATOS

Considerado um antinutriente, o ácido oxálico está presente em frutas, vegetais e folhas verdes. O organismo humano também o produz. Uma vez que se ingere oxalato em excesso, ele passa a ser expelido na urina. Isso aumenta a tendência de solidificação, que pode culminar nas pedras nos rins. Sua capacidade de ligação com outros minerais pode formar pedras nos rins. Por outro lado, o oxalato é um composto interessante para a saúde e deve estar presente na dieta. É preciso manter o equilíbrio: nem consumi-lo em excesso e nem eliminá-lo por completo do cardápio.

4. EVITE ALTAS DOSES DE VITAMINA C

Muitas pessoas investem em comprimidos de vitamina C, acreditando que eles são capazes de influenciar a saúde. Porém, o ácido ascórbico em excesso está ligado a maior chance de ter pedras nos rins. Isso acontece pois a vitamina C é capaz de tornar maior a expulsão do oxalato na urina. Isso ocorre também pela capacidade do ácido ascórbico se transformar em oxalato, quando ingerido. Esse fato se comprovou por estudos. Pessoas que participaram da análise e que tomaram vitamina C tinham um risco duas vezes maior de ter cálculos renais. A ingestão da substância foi feita através de suplementos, uma vez que alimentos em geral não influenciam nesse aspecto.

5. INGIRA BASTANTE CÁLCIO

Muitas pessoas acreditam que, como as pedras nos rins contém cálcio, diminuir seu consumo é benéfico para não ter riscos de sofrer de cálculos renais. Porém, isso não é verdade. O problema vive nos excessos. Conforme estudos demonstraram, uma rotina que invista em cálcio além do suficiente está relacionada a maiores chances de sofrer de pedras nos rins. Porém isso não significa que a substância deva ser eliminada da dieta. Indivíduos que sofreram de cálculos renais uma vez foram dispostos a uma dieta que continha 1200 mg de cálcio por dia. Assim, apresentaram metade do risco de vivenciar uma crise, especialmente em comparação a outros grupos que consumiram apenas 400 g de cálcio. Investindo em alimentos como queijo, leite e iogurte, dificilmente será possível ultrapassar os limites recomendados por instituições de saúde, que giram em torno de 1000 mg por dia para adultos e 1200 mg para todos idosos e mulheres acima de 50 anos.

6. DIMINUA A QUANTIDADE DE SAL

Se você ingere sal em excesso, saiba que está correndo ainda risco de desenvolver pedras nos rins. Isso porque ele estimula a urina a excretar mais cálcio presente. Isso possibilita que ele se solidifique e machuque o corpo ao ser expelido. Mesmo não havendo prova concretas dessa informação, a limitação da quantidade de sódio ingerida diariamente deve ser levada a sério. E isso porque ele propicia a chegada de diversas doenças sérias. Uma dica simples para diminuir o consumo de sódio é diminuir a ingestão de alimentos processados.

7. AUMENTE A INGESTÃO DE MAGNÉSIO

O magnésio dificilmente atinge o limite recomendado de ingestão diárias. Isso porque o seu consumo é geralmente negligenciado, o que reduz ações conectadas ao metabolismo humano. O magnésio está incluso dentre os alimentos recomendados para combater pedras nos rins em casa por ser extremamente importante para a sua prevenção. Ainda que especialistas não concordem sobre o assunto, a indicação é da ingestão do magnésio para aumentar a absorção do oxalato contido no organismo. Aposte em consumir um alimento rico em magnésio – como tofu, abacate e a maioria dos legumes – em um intervalo máximo de 12 horas.

8. COMA MENOS PROTEÍNA ANIMAL

As pedras nos rins tem sido amplamente conectadas ao alto consumo de carne, uma vez que diminui os níveis de citrato e aumenta a expulsão do cálcio do organismo. Esse tipo de macro nutriente também é rico em purina, que aumentam o risco de formação de pedras de ácido úrico. Na realidade, a purina está presente em praticamente todos alimentos, variando na quantidade. Carnes menos populares, como a carne de rim ou de fígado, geralmente contém as maiores taxas de purina. Se combater pedras nos rins em casa é sua prioridade, seja para aliviar crises ou evitá-las, aplique as regras acima diariamente e perceba resultados de forma natural e sem contraindicações.

Fonte: Texto extraído do site https://www.doutornature.com/pedras-nos-rins

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *