Pedra nos rins: Mudanças na alimentação podem ajudar a evitar uma crise renal

Foto: Reprodução

Somente quem já teve cálculo nos rins sabe o quanto é doloroso passar por uma crise renal.

A dor surge por conta da inflamação e obstrução do fluxo de urina nas vias urinárias e é tão intensa que o paciente precisa ser atendido com urgência nos prontos-socorros.

Alguns hábitos alimentares, especialmente o de não ingerir água na quantidade adequada, são os grandes responsáveis pelo problema.

Cuidados bem simples, no entanto, podem evitar pedra nos rins.

Abaixo alguns cuidados que podemos seguir para prevenir as terríveis pedras:

 

  • Não consumir bebida alcoólica em excesso

Bebidas alcoólicas, consumidas em excesso, podem estar associadas às pedras nos rins, uma vez que elas diminuem o metabolismo do ácido úrico.

  • Aumentar a ingestão de água

Esse é o mais lógico e conhecido cuidado que ajuda a evitar pedra nos rins. Tomar bastante água ajuda a urinar mais e a diluir os cristais ou formações sólidas do trato urinário.

O recomendável é tomar no mínimo 2 litros de água por dia.

  • Diminuir o consumo de alimentos processados e industrializados

Cerca 75% do sódio que as pessoas ingerem vem dos alimentos processados e industrializados.

Alguns alimentos processados concentram tanto sódio que uma única porção tem quantidade superior à recomendada para ingestão diária que é de 5g de sal (equivalente a 2g de sódio).

A Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN) recomenda fica atento aos rótulos dos alimentos. Hoje em dia, os fabricantes são obrigados a informar.

Também recomenda-se atenção à quantidade de sal usado no preparo dos alimentos. Em dias mais frios, há uma tendência maior de consumo, por conta de refeições mais calóricas e condimentadas. 

No lugar do sal, a SBN recomenda usar temperos que realçam o sabor da comida, como salsinha, alecrim, orégano, pimenta-do-reino, louro, hortelã, páprica, dentre outros.

  • Diminuir o consumo de proteínas

A dietas hiperproteicas, com excesso de proteína animal, podem sobrecarregar os rins. 

O risco é ainda maior em pessoas com doenças pré-existentes nos rins e ou histórico familiar de doença renal.

A forma mais segura de adequar a quantidade de proteína às suas necessidade é consultando-se com um nutricionista.

Fonte: catracalivre

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *