Você sabe a diferença entre pedra nos rins e dor nas costas?

Foto: pxhere

Indivíduos que sofrem com pedra nos rins sempre ficam em dúvida nos momentos de crise: É uma cólica renal ou uma simples dor nas costas?

Isso acontece porque como os rins estão localizados na parte de trás e sob as costelas, pode ser difícil identificar exatamente de qual ponto exato que vem a dor.

Mas alguns sintomas, como a localização, tipo e intensidade, podem ajudar a descobrir qual é a fonte de origem  da dor. Descubra entre um check-up médico e outro, a identificar corretamente uma crise causada por pedra nos rins com as dicas abaixo.

Dor nas costas versus Pedras nos rins

Os rins são os responsáveis por filtrar resíduos e toxinas da corrente sanguínea, o que os torna mais suscetíveis a infecções e danos.

Excesso de cálcio, oxalato e fósforo podem se acumular nos rins e formar cálculos renais, responsáveis por causar dor intensa ao se deslocarem ou causarem um bloqueio.

Além disso, a cólica renal pode ser causada também por infecções do trato urinário e traumatismos nos rins.

A principal diferença entre a dor nas costas daquela causada por cálculo renal é que o ponto focal da primeira costuma ser na região lombar.

Suas principais causas envolvem trabalho pesado, má postura e ficar sentado ou em pé por muito tempo. Certas condições médicas, como artrite, osteoporose e infecções, também podem causar dores nas costas.

Reconhecer a diferença entre dor nas costas ou aquela causada por pedra nos rins ajuda a garantir um diagnóstico precoce e a um tratamento mais eficaz.

Como identificar a dor nos rins

A dor causada por pedra nos rins é frequentemente causada pela movimentação dos cálculos ou por uma infecção na região. Se a dor vem do seu rim, ela terá essas características:

Localização

A cólica renal é sentida em seu flanco, que é a área de cada lado da coluna, entre a parte inferior da caixa torácica e os quadris.

Geralmente ocorre em apenas um lado do corpo, mas em alguns casos o paciente pode sentir dor em ambos os lados, dependendo se uma condição afeta apenas um rim ou ambos.

A sensação também pode ser que a dor está vindo do fundo do corpo.

A dor causada por pedra nos rins pode irradiar para outras áreas do corpo, como:

  • Laterais;
  • Abdômen;
  • Virilha;
  • Coxa.

Intensidade

Na maioria das vezes, a dor sentida em uma crise causada por cálculo renal será constante. Mas pode aumentar de intensidade e dar a sensação de pontadas mais intensas quando a pedra se move. Já a dor derivada de uma infecção geralmente é mais branda.

Sintomas indicativos de pedra nos rins

A presença de cálculo renal também pode ser notada pela presença de outros sintomas, como:

  • Urina turva, de coloração escura ou com sangue;
  • Dor ao urinar;
  • Necessidade persistente de urinar, mesmo que saia pouco ou nada;
  • Náusea;
  • Vômito;
  • Febre;
  • Tontura;
  • Fadiga.

Sinais de danos ou problemas renais graves podem incluir:

  • Mal hálito;
  • Gosto metálico na boca;
  • Falta de ar;
  • Inchaço das pernas, tornozelos ou pés;
  • Confusão mental;
  • Arritmia cardíaca;
  • Cãibras musculares.

É hora de procurar um médico

Um quadro de pedra nos rins não costuma ocorrer de um dia para o outro, então manter uma rotina de check-up médico periódico ajuda a proteger a saúde de um modo geral, e não só dos rins.

Além disso, é preciso estar atento a fatores como obesidade, ingestão excessiva de sódio e cálcio, além do consumo de água inferior a 2 litros/dia, que aumentam os riscos de desenvolvimento de pedra nos rins.

Em muitos casos, é possível contornar o mal-estar com repouso, terapia de calor e analgésicos vendidos sem prescrição médica.

Mas é importante que pessoas com sintomas de pedra nos rins ou infecção procure atendimento médico – especialmente quando apresenta também quadros clínicos como:

  • Dor persistente ou grave que não melhora após o repouso;
  • Dor que piora ao longo do tempo;
  • Dor, dormência ou formigamento que se irradia pelas pernas ou nos braços;
  • Dificuldade em andar ou permanecer em pé;
  • Inchaço das pernas, tornozelos ou pés;
  • Problemas súbitos na bexiga ou intestino;
  • Febre;
  • Arritmia cardíaca;
  • Falta de ar.

Em todos os casos, é essencial consultar um especialista e fazer um check-up médico completo para que a crise não escale e se torne um problema que só possa ser solucionado com intervenção cirúrgica.

Fonte: panoramafarmaceutico

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *