Coca-Cola com abacaxi não elimina pedra nos rins

A Coca-Cola é uma bebida conhecida no mundo inteiro e, por ser tão popular, não faltam suposições sobre seus efeitos no organismo – e até sobre usos um tanto improváveis.

Na internet, é possível encontrar vídeos ensinando a remover manchas de panelas, dissolver ossos ou mesmo desentupir canos, tudo usando a bebida.

Uma mensagem que circula pelas redes sociais afirma que misturar duas fatias de abacaxi e dois copos de Coca-Cola forma um poderoso remédio capaz de eliminar pedras na vesícula e nos rins. Será que isso é verdade?

É mentira. O boato, inclusive, já ganhou uma versão contrária: há outra mensagem afirmando que a mistura de Coca-Cola e abacaxi é  um “veneno puro que já matou diversas pessoas” – o que também não é verdade.

– Não há nada que comprove que a Coca-Cola com abacaxi faça mal e também não há nada que diga que faça bem. Na literatura médica, não tem absolutamente nada indicando que as substâncias presentes nestes produtos sejam capazes de eliminar cálculo de lugar algum – esclarece o médico gastroenterologista do Hospital Moinhos de Vento Fernando Wolff.

O texto traz diversos indícios de que não é verdadeiro: o conteúdo é alarmante, não cita fontes seguras (como o nome de algum profissional da saúde ou instituição médica) e parte de uma suposição. Portanto, se você recebê-lo, não encaminhe para ninguém.

No caso do cálculo renal, é comum que as pedras sejam eliminadas naturalmente – o que pode levar muitas pessoas a acreditarem que a mistura resolveu o problema. Há, inclusive, alguns relatos na internet de que, mesmo bebendo o líquido, o uso de remédios não foi descontinuado. Ou seja, aumenta a probabilidade de que tenham sido feitas associações equivocadas.

Cálculo biliar e cálculo renal

As pedras na vesícula (cálculo biliar) e as pedras nos rins (cálculo renal) são problemas diferentes – o que reforça que não há como existir uma única solução para ambos. 

A vesícula é o local em que a bile se concentra junto a cristais de cálcio. Quando há desequilíbrio entre esses compostos, geralmente causado por uma dieta rica em gordura, as pedras se formam. Gravidez, obesidade e tabagismo também são fatores que podem gerar o problema.

O cálculo biliar não costuma apresentar sintomas, isso só ocorre quando a pedra (ou as pedras) se desloca e fica presa no duto biliar, bloqueando o fluxo da bile para o intestino. Podem ocorrer desconforto embaixo da costela direita e dor contínua e forte na boca do estômago.

Quando as pedras não se movimentam e permanecem alojadas na vesícula, não causam problemas ou sintomas relevantes e não há necessidade de removê-las. Caso ocorra inflamação, que gera dores e desconforto, normalmente recomenda-se a retirada total da vesícula.

– Se o paciente faz uma ecografia e descobre que há pedras na vesícula, não há um tratamento rápido ou fácil para eliminá-las. Mas, caso nunca tenha havido dor, o mais indicado é que se faça apenas um acompanhamento. O fato de ter as pedras não é uma doença – explica o médico gastroenterologista Marcelo Appel, do Hospital Mãe de Deus.

As pedras nos rins exigem tratamento diferente. Elas podem ser expelidas naturalmente ou por meio de cirurgia, a depender do tamanho, da forma e da localização. O cálculo renal costuma ocorrer quando há concentração de urina ou alteração na eliminação de cálcio, ácido úrico e oxalato.

– Durante uma crise de cálculo renal, o paciente precisa procurar o médico, porque o tratamento depende do tamanho e da localização da pedra, e se há ou não infecção associada – alerta Roberto Berdichevski, coordenador médico do Serviço de Nefrologia do Hospital Mãe de Deus.

Assim como no cálculo biliar, as pedras, quando ficam alojadas nos rins sem se mover, não provocam dor. Mas, quando se movem em direção à bexiga, proporcionam dores extremamente fortes.

– Alguns pacientes descrevem a dor como sendo a pior que já sentiram na vida  – diz Berdichevski.

O problema é mais comum em homens entre 30 e 40 anos. Pouco consumo de água, residir em locais quentes e dieta rica em alimentos compostos por sódio, açúcar e proteína são alguns dos fatores de risco. 

Manter uma alimentação balanceada, sem excessos de sal, gordura, açúcar ou proteína, e beber água diariamente é fundamental para evitar a formação de pedras.

Fonte do artigo: https://gauchazh.clicrbs.com.br/saude/vida/noticia/2018/10/coca-cola-com-abacaxi-nao-elimina-pedra-nos-rins-e-na-vesicula-cjnq4rj6008iy01rxtnhxpz5i.html

Adicionar a favoritos link permanente.