Litotripsia extra-corpórea: Conceito, indicações, contraindicações, possíveis complicações

A litotripsia (do grego: lithos = pedra; trîpsis = esmagamento ou trituração) existe desde os primeiros anos da década de 80 e é uma técnica médica que procura implodir ou triturar os cálculos que se formam no organismo por meio de ondas sonoras apropriadas, de modo a permitir que eles sejam expelidos pelas vias adequadas. Pode-se aplicar a litotripsia a cálculos biliares, renais e da bexiga. Este procedimento tanto pode ser uma litotripsia extracorpórea, não invasiva, ou uma litotripsia intracorpórea. Continue Lendo

Ureterolitotripsia com duplo J

Ureterolitotripsia semi-rígida e flexível
Uma câmera endoscópica (ureteroscópio) especial é passada através da uretra, bexiga e ureter para visualizar a pedra. Os ureteroscópios podem ser semi-rígidos ou flexíveis. O procedimento é geralmente realizado sob anestesia geral. A pedra normalmente é fragmentada com uso de laser e os framentos retirados com auxílio de pinças e cestas. Este é um procedimento minimamente invasivo, que faz uso de orifícios naturais do corpo; não há cortes/incisões na pele.
É um procedimento seguro, bem tolerado e frequentemente realizado para o tratamento de cálculos renais. Continue Lendo